Oferta e demanda de milho e o desenvolvimento das cadeias produtivas de carnes no estado de Santa Catarina

O milho, cereal mais produzido e consumido no mundo, tem como principais produtores os Estados Unidos, China e Brasil. Os três países juntos somaram 670,36 milhões de toneladas no ano de 2017/18, 64,85% do total mundial de 1,03 bilhões de toneladas. Constitui num cereal de grande importância socioeconômica, cultivado em muitos países, sendo fundamental na cadeia produtiva de vários setores. No estado de Santa Catarina, o cultivo do milho tem importante participação nos sistemas produtivos dos agricultores e especialmente, para as cadeias produtivas de aves, suínos e bovinos. Nos últimos anos tem-se destacado também na produção de alimentos para a produção leiteira. No entanto, a produção de milho em Santa Catarina é insuficiente para atender demanda de milho no estado. Santa Catarina produz apenas 39% do milho que consome, o restante do grão depende de longo percurso rodoviário e fretes elevados para chegar ao estado. Este artigo se propõe a discutir se o déficit na produção de milho que enfrenta Santa Catarina se configura como fator de limitação da competitividade do setor produtivo de carnes e do crescimento econômico regional. O objetivo deste estudo é realizar um diagnóstico sobre o balanço entre produção e consumo de milho em Santa Catarina, uma análise dos efeitos da insuficiência da produção de milho no setor produtivo de carnes, e, por fim, avaliar a importância do setor da produção de carnes para a economia do estado. Artigo na integra

Ano: 2019

Autor (es):
Haroldo Tavares Elias, Epagri/Cepa
Alexandre Luís Giehl, Epagri/Cepa
Lilian de Pellegrini Elias, Unicamp

© 1996 - 2019 Epagri. Direitos reservados