Projetos

Líder: Luiz Toresan

Resumo: O documento de publicação das informações e dos indicadores de investimentos e de ações realizadas pelas empresas no cumprimento de sua função social é chamado de Balanço Social. Tem por objetivo dar transparência e visibilidade às ações das empresas sobre os resultados e impactos gerados pelas suas atividades em cada ano, como forma de prestar contas para a sociedade. Nesse sentido a Epagri precisa prestar contas de suas atividades à sociedade que a mantém. O Balanço Social se consolidou como um demonstrativo publicado anualmente pelas empresas reunindo um conjunto de informações sobre os projetos, benefícios e ações sociais dirigidas aos empregados, investidores, analistas de mercado, acionistas e à comunidade.

Líder: Glaucia Almeida Padrão

Resumo: Esta proposta visa à avaliação da eficiência técnica, econômica e ambiental dos produtores de arroz em SC, a fim de estabelecer os determinantes das ineficiências e propor soluções que as minimizem. Além disso, por meio deste estudo será possível estabelecer um perfil socioeconômico dos orizicultores no estado e determinar os grupos para análise em diferentes níveis tecnológicos e tamanho de propriedade. Uma das principais causas da saída dos orizicultores da atividade é o custo de produção elevado combinado a um preço baixo e com pouca variabilidade, capaz de cobrir apenas os custos variáveis na maioria das vezes. Grande parte desses custos é elevada por ineficiências produtivas, uso incorreto de insumos e problemas na gestão da propriedade. Assim, esse projeto pretende identificar tais ineficiências em seus vários níveis, de forma a propor ações que permitam ao produtor permanecer na atividade no médio e longo prazo.

Líder: Janice Maria Waintuch Reiter

Resumo: A falta de dados atualizados a respeito dos empreendimentos de agregação de valor e redes de cooperação da agricultura familiar catarinense levou a realização de um levantamento a campo para suprir essa necessidade. Os dados do levantamento estão armazenados individualmente e necessitam ser sistematizados, criticados, analisados e disponibilizados aos técnicos do Programa GNM para que estes deem continuidade a seus planejamento, acompanhamento e desenvolvimento de suas ações.

Líder: Haroldo Tavares Elias

Resumo: O acesso ao mercado e a comercialização dos produtos agrícolas da Agricultura Familiar constitui um dos principais gargalos dessa categoria de produtores. A escolha do mecanismo de comercialização envolve ações que se adaptem à pequena escala, ao relacionamento com fornecedores, e a existência de estratégias competitivas. O processo de comercialização tem início com a produção, mas não se limita a isso, passando pelo beneficiamento, embalagem, compra, venda e atividades de logística. Essa dinâmica de produção, para permanência no mercado, implica que os produtores tenham volume, qualidade, diversidade e regularidade de oferta, pois os consumidores precisam se alimentar diariamente e os fornecedores devem estar estruturados para esse tipo de oferta. A tomada de decisão, tanto de agricultores, quanto aos formuladores de políticas públicas necessitam das informações de mercado.

Líder: Luiz Toresan

Resumo: Diversos fatores interferem no desempenho das safras agrícolas e das criações. Dentre eles, o clima, a área cultivada e o tamanho das criações, o uso de tecnologia, os preços dos produtos agrícolas, os custos de produção, a demanda dos produtos no mercado, o câmbio e o comportamento geral da economia. As decisões dos produtores quanto à o que, quanto, quando e como produzir, por sua vez, são influenciadas pelo comportamento pregresso das variáveis intervenientes e suas expectativas quanto ao comportamento futuro desses elementos. A evolução dos indicadores e índices envolvendo relações de preços entre o que é produzido pela agropecuária e o que é comprado por ela para realizar a produção influi nas decisões sobre a área a ser plantada e sobre a tecnologia utilizada, com reflexo na produtividade esperada para a safra futura, o que determina melhoria ou redução dos ganhos do setor, em termos de renda. Estudar, e divulgar o comportamento desses índices ajuda a tomada de decisão.

Líder: Rogerio Goulart Junior

Resumo: No Estado de Santa Catarina, a consolidação de atividades produtivas que viabilizem renda aos produtores rurais no setor frutícola depende, em muitos casos, da diversificação da produção com a oferta de produtos in natura e/ou industrializados afim de atender mercados locais, interestaduais e externos. A cultura do maracujazeiro, concentra mais de 83% do total estadual de sua produção na mesorregião do Sul Catarinense, sendo, em 2014/15, a quarta fruta mais representativa em termos econômicos, com mais de R$ 25,5 milhões de valor bruto da produção catarinense. Mas, nesta cultura, há poucos estudos e informações agrícolas e socioeconômicas sobre os produtores, produção e canais de comercialização o que dificulta a articulação do segmento para otimizar a alocação dos recursos e a diferenciação de produtos com eficiência técnica e econômica na produção e com mecanismos de governança em busquem maior competitividade no mercado.

Líder: Rogerio Goulart Junior

Resumo: No setor frutícola catarinense, a tomada de decisão para elaboração de projetos, acompanhamento agrícola e ações dos agentes de mercado e de políticas públicas carece de dados e informações anuais. Por isso há necessidade da organização e execução de levantamento de dados e informações referentes às principais frutas de culturas temperadas e tropicais no estado de Santa Catarina, para compor uma base de dados consistente a ser utilizada para ações de planejamento e fomento da fruticultura estadual.

Líder: Rogerio Goulart Junior

Resumo: No setor frutícola catarinense, a tomada de decisão para elaboração de projetos, acompanhamento agrícola e ações dos agentes de mercado e de políticas públicas carece de dados e informações anuais sistematizadas. Por isso há necessidade da organização e execução de levantamento de dados e informações referentes às principais frutas de culturas temperadas e tropicais no estado de Santa Catarina, para compor uma base de dados consistente a ser utilizada para ações de planejamento e fomento da fruticultura estadual.

Líder: Haroldo Tavares Elias

Resumo: O acompanhamento sistemático da produção e mercado dos principais produtos agrícolas/grãos são de importância estratégica para o Estado. O conhecimento das expectativas de produção e dos estádios de desenvolvimento das culturas fornecem subsídios importantes para o planejamento da produção e dos fluxos para o armazenamento e distribuição dos produtos. Alterações nessas expectativas e desequilíbrios nas relações de oferta e demanda, são determinantes para o bom desempenho dos produtores agrícolas e das cadeias produtivas, com repercussões econômicas e sociais em todo o Estado. As informações resultantes do monitoramento da produção e mercado são, portanto, fundamentais para perceber as tendências, avaliar investimentos, prospectar mercados, além de servir como importante instrumento para a formulação e aplicação de políticas públicas, direcionamento da pesquisa e, eventualmente, de mitigação de consequências, quando essa evolução for comprometida por fatores econômicos e ambientais.

Líder: Jurandi Teodoro Gugel

Resumo: Para a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, é fundamental identificar os avanços e limites dos programas fundiários em SC. O último estudo realizada foi em 2010, sendo necessário atualizar informações e análises sobre o novo contexto em que as ações dessas políticas estão inseridas. Dessa forma, a centralidade do presente estudo é responder as seguintes questões: Como evoluiu a situação socioeconômica dos beneficiários dos programas de acesso a terra em Santa Catarina no período de 2010 a 2017 ? Que ações são necessárias para aprimorar os programas de acesso aterra em Santa Catarina?

Líder: Luis Augusto Araujo

Resumo: O tema da gestão quando vinculado a um extrato social específico, como o é das unidades de produção agropecuária familiar, tem pouca abordagem acadêmica que enfatiza o entendimento de sua prática e realidade. Além disso, tecnologias de gestão na área da agricultura familiar ainda são incipientes e precisam ser aprimoradas para efetivamente qualificar este setor de atividade. Por tais motivos se faz necessário ouvir e diagnosticar o que pensam estes agricultores e como eles construíram ao longo do tempo suas formas de gestão. Em função destes aspectos é que, neste projeto de pesquisa, se reúnem uma série de órgãos para pensá-la, bem como pensar formas de sua própria atuação. As principais questões norteadoras deste projeto são: (a) quais são os pontos fracos, os pontos fortes, as ameaças e as oportunidades das unidades de produção na percepção dos agricultores? (b) que ações podem ser propostas para a melhoria socioeconômica e das oportunidades de inclusão social dos agricultores?

Líder: Glaucia de Almeida Padrão

Resumo: A análise da evolução e determinantes do preço da terra no Brasil e estados tem sido objeto de pesquisa durante muitos anos. Entender o comportamento destes preços ao longo do tempo é de grande interesse dos produtores rurais, governo estadual e federal e investidores. Inexistem estudos sobre os determinantes qualitativos e produtivos da evolução dos preços da terra agrícola no estado de Santa Catarina. Além disso, destaca-se a falta desta análise fundamentada na abordagem dos preços hedônicos, bem como, destas considerações por microrregiões, contemplando as especificidades regionais da atividade agropecuária no estado e de que forma, direta ou indireta, essas atividades afetam a formação dos preços de terra. A execução deste estudo visa fornecer subsídios à elaboração de políticas públicas, sobretudo no que se refere às públicas, sobretudo no que se refere às políticas fundiárias e de acesso à terra e futuras ações para uma política de reordenamento fundiário.

Líder: Joao Rogerio Alves

Resumo: A tomada de decisão para a realização de negócios passa necessariamente pela detenção de informações confiáveis e atualizadas sobre o mercado. No setor agrícola não é diferente, o produtor e demais agentes ligados ao setor, em todas as suas ações voltadas à comercialização da produção necessitam de referências sobre preços agrícolas. A ausência ou inacessibilidade a essas informações pode implicar no sucesso ou frustração de um empreendimento. O Epagri-Cepa, atualmente, é a única instituição em Santa Catarina que possui um sistema que monitora o mercado de produtos agrícolas, utilizando metodologias de coleta reconhecidas e que abrange todas as regiões do Estado. O Sistema contempla um grande conjunto de produtos e fatores de produção, utilizados à montante e à jusante de produção agropecuária. O sistema de informações de preços, administrado pelo Epagri-CEPA, é um instrumento que possibilita dar transparência ao processo de comercialização agrícola.

© 1996 - 2018 Epagri. Direitos reservados