Estratégias de valorização dos produtos da agricultura tradicional em Biguaçu, SC: Perspectivas de mercado e conservação ambiental

A agricultura brasileira se desenvolve entre extremos: de um lado, sistemas retratados como de alta produtividade e eficiência e, do outro, sistemas tradicionais ditos de subsistência, muitas vezes estigmatizados como ineficientes e ambientalmente degradantes. Neste artigo apresentamos uma discussão acerca da revalorização do sistema tradicional de produção denominado roça de toco, no município de Biguaçu, SC. Apresentamos também as estratégias para acessar a mercados diferenciados que foram implementadas com base em inovação e organização coletiva dos agricultores. Essa transformação partiu do conhecimento das verdadeiras preocupações e anseios dos agricultores praticantes do sistema os quais, aliados ao processo participativo de planejamento, resultaram em inovações organizacionais, de gestão e de produto. Por meio de cooperação interinstitucional, houve uma reinterpretação e valorização da roça de toco, que se expressou pela regularização ambiental do sistema e pela criação de uma marca coletiva denominada “Valor da Roça”. O uso da marca tem auxiliado na diminuição da assimetria informacional e no aumento da renda dos agricultores. Em síntese, converteu-se um sistema contestado e desvalorizado socialmente em um sistema de produção ambientalmente responsável e reconhecido por seu diferencial em mercados de maior valor agregado. Artigo na integra

Ano: 2017

Autores:
Reney Dorow
Cíntia Uller Gómez
Elaine Bauer

Palavras-chave: inovação; agricultura familiar; roça de toco; sustentabilidade

© 1996 - 2019 Epagri. Direitos reservados