Informações sobre preços de terras

O levantamento de preços de terras agrícolas em Santa Catarina é um trabalho realizado pelo Epagri-Cepa com o objetivo de conhecer a evolução dos preços das terras utilizadas na agricultura, de modo a permitir e subsidiar o gerenciamento de políticas agrícolas e dar suporte a estudos e projetos.

Os preços das terras são valores referenciais do município, por isso, estão sujeitos a grandes variações, principalmente, devido aos fatores localização do imóvel, topografia e qualidade do solo, grau de aproveitamento agrícola, etc. Não está entre os nossos objetivos, informar preços de terras para balizar negócios com terras, muito menos, para referenciar arbitragens. Desta forma, para os casos que necessitam maior grau de precisão, o Epagri-Cepa recomenda a realização de levantamentos específicos, por intermédio de peritos em avaliações de imóveis rurais. A utilização errônea dos preços não é de responsabilidade desta empresa.

Metodologia e conceitos

O levantamento é feito pelos técnicos do Epagri-Cepa, nos municípios integrantes das suas respectivas regiões de atuação, junto a instituições predefinidas, como: prefeituras, cartórios, bancos, cooperativas, imobiliárias, sindicatos, além de técnicos da Extensão Rural e agricultores.

As informações obtidas são declaratórias, portanto não refletem transações efetivas. A pesquisa contempla o levantamento da terra nua (sem benfeitorias) para uso agrícola, e também de áreas aptas a se constituírem em servidão florestal (preservação permanente).

Para a determinação dos preços foram estabelecidas 7 classes de terras a serem pesquisadas. Para efeito de enquadramento, a propriedade deve possuir a maior área das terras conforme a especificação de cada classe abaixo:

1 - Terra de várzea sistematizada - Terra de várzea, nivelada e entaipada, com canais de irrigação e drenagem, pronta para o cultivo do arroz irrigado.

2 - Terra de várzea não sistematizada - Planície normalmente fértil, cultivável, e que apresenta potencial para ser sistematizada.

3 - Terra de primeira - Terra mecanizável e de boa fertilidade ou terra de várzea que não apresenta potencial para ser sistematizada.

4 - Terra de segunda - Terra mecanizável de baixa fertilidade ou terra não mecanizável de boa fertilidade, mas com dificuldade para mecanização.

5 – Terra de terceira – Áreas de topografia acidentada, impróprias à exploração de lavouras temporárias, lavouras permanentes e pastagem. Uma das poucas alternativas de exploração econômica é a implantação de reflorestamento.

6 – Terra de campo nativo - Terra de campo nativo, cuja principal característica é o solo raso ou pedregoso.

7 – Terra para servidão florestal – áreas cobertas de vegetação nativa primária (mata virgem) em estágio médio (capoeiras) ou avançado (capoeirão) de recomposição.

Para cada uma das categorias existentes no município são levantados os preços mínimos, mais comuns e máximos, considerando a localização e as características físico-químicas da terra. Estes dados sofrem crítica de consistência no momento da coleta, eliminando-se os valores díspares (fora do padrão) e ao término do levantamento são remetidos à sede da Epagri-Cepa, onde são tabulados e tratados para uma posterior divulgação.

A referência de preço final para o município é apresentada da seguinte forma:

- preço mínimo - menor valor observado;
- preço mais comum - cotação mais freqüente entre os valores coletados;
- preço máximo - maior valor observado no levantamento

Acesse aqui o preço de terra 2012

 

 
  Preços diários de Santa Catarina

 Sintese Anual da Agricultura de Santa Catarina